Ao mestre com carinho… – Gizelle Gelinsky
Ao mestre com carinho…

Ao mestre com carinho…

Ao mestre com carinho…

Foto: Google - Reprodução.
Foto: Google – Reprodução.

15 de outubro: Dia do Professor!
Hoje, olhando para trás, vejo que esta profissão marca muito a minha vida.
Minha avó materna nasceu neste dia e é lembrada por todos seus eternos alunos, devido sua dedicação e carinho ao trabalho que lhe rendeu uma vida inteira. Ainda criança, lembro-me de seus ensinamentos e suas histórias. Herança que passou para suas filhas, minhas tias (duas delas são professoras e até minha mãe provou do gosto gostoso de lecionar).
Confesso que não fui lá um exemplo de aluna exemplar (mais conversava, do que silenciava), mas era inteligente, um pouco acima da média, por assim dizer. Mas me deparei com alguns professores que não souberam me levar e aí, foi que “bati de frente” com algumas personalidades. E eu, com a minha “pereira de ser”, não deixei barato. Briguei, lutei e passei, deixando marcas e lembranças.
E, nesta trajetória escolar, posso afirmar com todas as letras (e saudades): “Época gostosa foi a nossa!”.
Tenho amigos até hoje (de verdade!).
Muitos conhecidos.
E professores que guardo aqui, no meu coração, sim!
Graças a Deus e ao tato de cada um, conseguiram extrair daquela menininha magrela com olhos de jabuticaba e muito faladeira, o melhor que ela poderia dar naquele momento.
São estes mestres que hoje venho homenagear.
Sinto que, pela vida, correria ou seja lá o que você queira nomear, talvez eu não tenha dito e/ou agradecido o suficiente.
Mas sinto no coração que tenho que dividir com vocês este sentimento, porque hoje, vejo em meus filhos, o mesmo percurso. Se deparando com professores tão amados, sábios e apaixonados pelo que fazem.
Não é fácil ser professor em 2014.
Lá na década de 80 (putz, confessei minha idade, né? Rsrs), respeitar a instituição e o professor era lei. Quando começavam as aulas, vinha o discurso: “Ai de ti, se reclamarem de você para nós” – diziam meus pais. Ou essa: “Passar de ano é sua obrigação”. E sou muito grata por estes valores passados para mim.
Mas hoje, este profissional não tem o respaldo necessário para poder atuar. Alunos entram na escola sem educação – aquela, que deveria vir de casa, que pai e mãe deveriam dar.
Fico indignada “os causos” que escuto porque, além da desvalorização financeira (professor ganha mal pra caramba), muitas vezes, não têm o suporte que a profissão exige (apoio da direção/empresa/pais).
Peço a Deus que abençoe o professor.
Para que não o deixe desanimar, nem tão pouco falte fé no caminho que ele escolheu.
Que continue a crescer na sabedoria de ensinar e, principalmente, lhe aumente o amor pelo ofício.
Pelos seus alunos.
Pelos nossos filhos.
E pelo futuro do nosso país!

 

Vó Terezinha.
Vó Terezinha.

Ah: Parabéns Vó Tetê… Depois vou lhe dar aquele abraço gostoso, viu?
Parabéns queridos professores da minha vida!
Obrigada por todo ensinamento e amor que me foram passados!
Parabéns a todos os professores da minha família, vocês são guerreiros!

Minha mãe, minha avó Terezinha e eu (casamento meu irmão em 2008).
Minha mãe, minha avó Terezinha e eu (casamento meu irmão em 2008).

2 Replies to “Ao mestre com carinho…”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *